Posts Tagged With: capoeira ; patrimônio; humanidade;

 Capoeira no Mundo dos Quadrinhos: Apagão cidade sem lei e luz

Este mês mostraremos o quanto a capoeira está inserida nas mais diversas formas de linguagem. Que a capoeira entre no mundo dos quadrinhos é no mínimo relevante, já que dentro do contexto sociocultural que vivemos, não só em escala nacional, mas global, cada vez menos observamos o interesse das crianças, jovens ou adultos pelo mundo dos quadrinhos. 

É nesse cenário que a capoeira, arte-luta, que até meados do século passado era marginalizada e discriminada, passa a ser personagem principal. Podemos usar estas produções para termos uma ideia de como ela é vista por seus produtores e, de forma indireta, por aquele nicho da nossa sociedade que dá  fôlego para que este tipo de produção continue a existir. 

A capoeira e o seu espectro marginal, belicoso, violento e lúdico são excelentes requisitos para se formar uma bela narrativa de ação e aventura capaz de prender um leitor do início ao fim. A escravidão, a luta pela liberdade e pelo espaço dentro da nossa sociedade são aspectos que fazem da capoeira um grande tema, capaz de se subdividir em múltiplos assuntos capazes de dar roteiros intrigantes e surpreendentes. 

O Itan Òbe iniciará uma mostra de quadrinhos que fazem da capoeira seu mote principal ou que apenas façam uma referência sobre a arte-luta. Para que se iniciem os trabalhos apresentaremos uma das produções mais recentes no mundo dos quadrinhos: “Apagão: cidade sem lei e luz”.

“Apagão: cidade sem lei e luz”, obra de Raphael Fernandes, com a arte de Camaleão, é sem sombra de dúvidas um salto bastante importante na produção e na representação da capoeira em nossa mídia mais comercial. A trama se passa em uma São Paulo caótica e apocalíptica, onde uma falta de luz generalizada desencadeia uma crise social, financeira e civil. Brigas, preconceito e afirmação social são alguns dos temperos que compõem essa HQ. Para os amantes da arte capoeira é um prato cheio.

Aspectos lúdicos da capoeira e de costumes dos integrantes do mundo da capoeiragem estão presentes neste HQ, como o uso de apelidos em vez de nomes pelos integrantes desse grupo durante os diálogos (um detalhe pequeno para quem não vive dentro da capoeira, mas é um grande aspecto para os praticantes, que vão logo de cara se identificar com essa prática). 

Os Macacos Urbanos nos remetem às famosas maltas de capoeira do Rio de Janeiro durante o século XIX, onde a disputa de espaço e a demarcação de território era corriqueira. A diferença que precisamos assinalar a respeito desta HQ é que os Macacos Urbanos disputam território não com uma outra malta de capoeira, mas sim com um grupo neonazista que prega pureza da raça.

O que poderia deixar um pouco a desejar na HQ é a representação da mobilidade dos capoeiras e seus golpes no enfrentamento com seus rivais, mas neste quesito podemos até dar um desconto tendo em vista que a diversidade de golpes que compõem a capoeira e sua execução plástica são em todos os aspectos técnicos difíceis de serem representados em uma página de percepção 2D.

O que torna Apagão ainda mais atrativo é a sua disponibilidade. A HQ está disponível virtualmente na Playstore e pode ser acessado de qualquer celular ou tablet. Cabe agora ao nosso leitor se debruçar sobre esta incrível jornada e se juntar aos Macacos Urbanos na capoeiragem pelas ruas tumultuadas e perigosas da escura São Paulo.

Categories: Postagens | Etiquetas: , , , , , , , | Deixe um comentário

A Negrada Instituição

    O que disponibilizamos no Itan Òbe é para nós um marco na mudança da historiografia brasileira no que tange o universo da capoeira. A Negrada Instituição serviu e ainda serve como referência para novas pesquisas que passaram a surgir no final do século XX e inicio do século XXI. A mudança de paradigma que o autor utiliza para tratar a contextualização da capoeira e sua posição na sociedade foi inegavelmente inovador e balizado historiograficamente.

    Carlos Eugênio Líbano Soares, utiliza fontes que não eram muito usadas por historiadores brasileiros, fontes judiciais e policiais que até então não poderiam trazer um panorama social passam a ser mais largamente utilizadas, mas não somente Carlos Eugênio, como também estudiosos da escravidão passam há ter neste tipo de fonte uma nova base para pesquisa, conseguindo através deste arcabouço teórico traçar não somente a situação social, mas também até como viviam essa parcela da sociedade tão densa, mas extremamente reprimida.

    O que estamos referendando não é apenas uma tese de mestrado, mas sim uma nova forma de ver a capoeira dentro da nossa sociedade e com uma importância muito maior do que poderíamos imaginar. Negrada Instituição é apenas a ponta deste iceberg literário e historiográfico que circunda o mundo da capoeira, obras vieram depois e muitas ainda virão para tratar da capoeira como ela merece e deve ser representada dentro do nosso país, pois para nós que vivemos no mundo da mandinga sabemos que a capoeira não é apenas uma luta ou um esporte, mas sim um estilo de vida.

     Portanto, recomendamos que leiam e entrem neste mundo mágico que são os “descobrimentos” e as histórias maravilhosas que esta obra nos traz.

A Negrada Instituição

Categories: Artigos | Etiquetas: , , , , , , | Deixe um comentário