Barravento

      Barravento, de 1962 é sem sombra de dúvidas uma aula dos processos culturais afro-brasileiros, o filme transmite todo amálgama que era e é a cultura que herdamos dos escravos que aqui foram forçados a viver. Podemos perceber que a vida deste pequeno vilarejo girava em torno de sua religião, era ela quem comandava o ritmo e as regras de convívio tanto social quanto de trabalho.

     Capoeira, samba de roda, candomblé e puxada de rede em um único lugar, atadas todos pelo mesmo fio tecedor de cultura, a religião. A religião e a musicalidade são elementos chave das sociedades africanas, e esta característica foi transmitida para todos os lugares onde o povo africano pisou na América do Norte, Central e do Sul. Em todos esses lugares encontraremos manifestações de cunho africanas, todas em certa medida musicais e religiosas.

   As igrejas protestantes do EUA carregadas com seus louvores, todos marcados de uma forma extremamente musical e ritmada, a Danmye na ilha da Martinica com características bem próximas da capoeira, um misto de dança e luta e a capoeira no Brasil, que durante muito tempo esteve presente nos terreiros de candomblé, protegida e protegendo, são estes apenas alguns exemplos, com um olhar mais perceptivo encontraremos diversas outras manifestações. A dissociação da capoeira com a religião se deu em um tempo muito posterior até mesmo a libertação dos escravos.

     Como percebemos neste filme que data do ano de 1962, a capoeira e o capoeirista estavam sim intrinsecamente ligados ao candomblé, não só pelos laços de amizades entre filhos de santos e as mães de santo, mas estes capoeiras eram sim em muitos casos filhos de santos, ogãns e ativos freqüentadores dos terreiros de candomblé. Essa relação não se deu somente na Bahia, no Rio de Janeiro as relações entre estes dois personagens da sociedade que eram marginalizados muitas vezes se cruzavam e se protegiam diante de uma sociedade preconceituosa marginalizadora.

      Barravento é sem sombra de dúvidas um ótimo programa para discussão em seus grupos de estudos, de capoeira e de amantes da cultura afro-brasileira, dele poderemos extrair os mais diversos assuntos que perfazem o processo tanto cultural quanto preconceituoso que se instalou em nossa sociedade. A religião, a capoeira, o lugar do negro no mundo de trabalho ainda marginal, esses são alguns dos tópicos que podemos ressaltar deste maravilhoso filme. Assim, recomendamos um cine pipoca com Barravento e uma excelente discussão.

Categories: Filmes e documentários | Etiquetas: , , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: